Pular para o conteúdo principal

DIREITO ADQUIRIDO À INCORPORAÇÃO DAS GRATIFICAÇÕES DE DIREÇÃO, SECRETARIA GERAL E COORDENAÇÃO DE ESCOLAS ESTADUAIS DE GOIÁS

Professores da rede pública estadual de ensino do Estado de Goiás que tenham recebido gratificação de função ou de representação por 5 (cinco) anos consecutivos ou 10 (dez) anos intercalados até 4 de abril de 1995, possuem o direito adquirido de lha incorporar em seu vencimento para fins de aposentadoria.

Esse direito está insculpido no artigo 98 da Constituição Federal do Estado de Goiás o qual prolatava o seguinte:

“O servidor que satisfizer as exigências do art. 97 desta Constituição será aposentado com o vencimento ou salário do cargo ou emprego efetivo, acrescido das vantagens previstas em lei ou resolução, fazendo jus, ainda, à gratificação de função ou de representação percebida em qualquer época, durante, no mínimo, cinco anos consecutivos ou dez intercalados, mesmo que, ao aposentar-se, já estiver fora daquele exercício.”

Além disso, o valor da gratificação incorporada será a maior percebida por 6 (seis) meses, tudo conforme a inteligência do § 1.º do artigo acima mencionado, e será reajustada, na mesma proporção, sempre que for majorada para o servidor em atividade, nos ditames do § 3.º do mesmo dispositivo constitucional.

Vale esclarecer que se trata de direito adquirido no tempo, ou seja, quem tiver configurado os requisitos aqui mencionados até 4 de abril de 1995, poderá exercer esse direito a qualquer tempo, sendo esse também o entendimento do tribunal responsável por esse assunto, Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, conforme o seguinte caso já julgado:

"DUPLO GRAU DE JURISDICAO. APELACAO CIVEL. DECLARACAO DO EXERCICIO DE FUNCAO DE DIRETOR DE ESCOLA. INCORPORACAO, AOS PROVENTOS, DA GRATIFICACAO CORRESPONDENTE. COMPROVADO QUE O SERVIDOR EXERCEU, POR MAIS DE CINCO ANOS ININTERRUPTOS, O CARGO DE DIRETOR DE ESCOLA, INCORPORA-SE, A SEUS PROVENTOS, A GRATIFICACAO REFERENTE A FUNCAO EXERCIDA. REMESSA E APELO CONHECIDOS E IMPROVIDOS". (TJGO SEGUNDA CAMARA CÍVEL. DJ 13137 de 17/09/1999. LIVRO: 553. ACÓRDÃO DE 10/08/1999. RELATOR: DES JALLES FERREIRA DA COSTA. RECURSO: 5952-7/195 - DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO. COMARCA DE URUANA. MARIA BENTA FAGUNDES CARVALHO X SEC. EDUCACAO DO ESTADO DE GOIÁS. DECISÃO: CONHECIDOS E IMPROVIDOS, A UNANIMIDADE)

Diante disso, o professor que se aposentar sem a incorporação da gratificação a que tem direito adquirido deverá procurar um advogado especializado para se tomar as devidas providências e, quiçá, receber a diferença retroativa.

WESLEY FANTINI DE ABREU

Comentários

Anônimo disse…
EXCELENTE EXPLICAÇÃO.
TAMBÉM, SOU ADVOGADA, E ESTAVA PROCURANDO MATÉRIAS ACERCA DESSE CASO, E DE TODOS QUE LI, ESTE FOI COM TODA A CERTEZA, ''O MAIS COMPLETO''.

PARABÉNS.

Att;
Dra. Elizete Pereira

Postagens mais visitadas deste blog

DIREITOS E VANTAGENS TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIOS DA FUNÇÃO EXERCIDA PREVALECEM EM CASO DE CONTRATOS NULOS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

As contratações sem concurso público foram prática comum os anos noventa e dois mil, e ainda existentes em muitas Unidades da Federação Brasileira nos dias de hoje. Essas contratações são nulas segundo o Poder Judiciário e Constituição Federal, fazendo as funções exercidas na realidade prevalecer sobre a indicada no nulo contrato, ou seja, valem os Direitos trabalhistas e previdenciários da função exercida em detrimento das da função constante no contrato nulo.

DEFESAS AMBIENTAIS COMO INSTRUMENTO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

Atualmente, a fiscalização ambiental, feita pela União, Estados e Municípios, tem gerado uma verdadeira avalanche de autações por infrações ambientais.

Trata-se de um grande avanço para a sociedade brasileira, infelizmente acostumada a explorar e poluir o meio ambiente sem se preocupar com o amanhã.

Talvez assim possamos deixar para os nossos filhos e netos um lugar não tão ruim para viverem. E para que isso seja possível, imprescindível são as fiscalizações e autuações.

Entretanto, não podemos fechar nossos olhos para os abusos que ocorrem diariamente nesse policiamento ambiental.

Quem for autuado, pode e deve defender-se, pois assim estará contribuindo evitar os equívocos e auxiliando na construção de uma fiscalização mais ética e equilibrada, especialmente porque atualmente muitos autos-de-infração são lavrados com inúmeros erros e excessos, como os seguintes:
Erros grosseiros no preenchimento do auto-de-infração ambiental, como equívocos de endereço, data, nome e atividade do autuado;D…